Inteligência Emocional—Como lidar com as adversidades RESILIENTEMENTE?

Inteligência Emocional—Como lidar com as adversidades RESILIENTEMENTE?

“Não guardo segredo, mas sou bem secreto. É que eu mesmo não acho a chave de mim” (Fagner e Abel Silva)

Dando sequência à nossa série de posts descrevendo o nosso programa de Educação Corporativa, Turning Point Program (TPP), abordaremos neste o segundo módulo—Desenvolvimento das Inteligências Intrapessoal e Interpessoal. Lembrando que o programa é desenvolvido em três módulos de 15h cada. No post anterior, tratamos do primeiro módulo—A Busca do Significado.

Ressaltamos que a ideia desta série surgiu a partir do post A Era da Hipercompetitividade publicado no dia 12 de março de 2018. Na ocasião, descrevemos este fenômeno e suas consequências sobre as organizações. Como não gostamos de fazer somente o papel de “profetas do apocalipse”; além de diagnosticar a doença, sentimo-nos obrigados a prescrever o “remédio para a cura deste mal”.

Daí, apresentamos nosso programa de Educação Corporativa—Turning Point Program (TPP), como sendo a forma adequada para lidar com as demandas impostas pela Hipercompetitividade gerando vantagens competitivas sustentáveis. Desde então, passamos a detalhar os módulos do programa, sucintamente. Neste post, abordaremos o segundo módulo e, semana que vem, finalizaremos a série com o terceiro e último módulo.

Lembrando que todos os posts estão sequencialmente “linkados” permitindo a plena compreensão da sequência para aqueles que estão pegando o bonde agora. Portanto, não se preocupe se você estiver começando o estudo a partir deste post. É só voltar para o início da sequência, através do línk A Era da Hipercompetitividade, entrar a bordo e seguir viagem. Divirta-se!

Resiliência

Resiliência é um termo descrito pela Física como sendo a “propriedade que alguns corpos têm de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação”. As ciências humanas adotaram este termo, analogamente, para descrever a capacidade que algumas pessoas, organizações e nações têm de, quando submetidas a algum infortúnio da vida, se reerguerem das cinzas vitoriosamente e, muitas vezes, mais resistentes, inclusive.

Ser resiliente não é evitar que as adversidades nos acometam. Ser resiliente é entender o fenômeno racionalmente, na sua forma e dimensão, e lidar com ele adequadamente. Requer autocontrole. Para tanto, as Inteligências Intrapessoal e Interpessoal têm que ser desenvolvidas. É exatamente deste tema, à luz dos estudos do Dr Stoltz , que trata o nosso segundo módulo do TPP.

Inteligência Intrapessoal

A Inteligência Intrapessoal diz respeito à capacidade que alguns indivíduos têm de identificar suas emoções, aonde elas se originam e qual influência elas exercem sobre suas existências. Tentando ser mais claro, são aquelas pessoas que quando estão “down”, elas sabem o porquê e como isso pode afetá-las nas diferentes áreas de suas vidas. Em contrapartida, algumas pessoas quando se sentem desanimadas, não fazem a menor ideia do que provocou o desânimo, nem tampouco quais áreas de suas vidas este desânimo pode influenciar.

Em outras palavras, a inteligência intrapessoal é o conhecimento de si mesmo. A importância do autoconhecimento vem de longas datas. Os filósofos gregos preconizavam esta importância como sendo a condição para o entendimento de todo o universo. A frase “conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo” na entrada do templo de Delfos, construção que homenageia o deus grego do sol, Apolo; denota a importância desta máxima.

Não se sabe ao certo o autor da frase. Existem diferentes registros que apontam os filósofos Tales de Mileto; Sócrates; Heráclito e Pitágoras como os supostos autores. Na verdade, não importa a autoria. O que importa é que ela está lá, há aproximadamente 600 ac, ressaltando a importância da inteligência intrapessoal.

A capacidade de ser intrapessoalmente inteligente, não é uma dádiva divina derramada sobre as pessoas especiais (mais especiais). É uma habilidade que, como qualquer outra, pode ser aprendida e aprimorada. De fato, só nos tornamos intrapessoalmente inteligentes quando aprendemos e desenvolvemos esta habilidade. Este é um dos objetivos do TPP. Obviamente, ninguém se transforma intrapessoalmente inteligente através de um módulo de um programa de Educação Corporativa de 15h. Mas o primeiro passo é dado. E como o primeiro passo é o mais importante da caminhada…

Quando a inteligência intrapessoal é desenvolvida, o indivíduo exerce um autocontrole em relação às situações adversas adaptando rapidamente suas necessidades aos novos cenários. Não se trata de uma postura passiva de acomodação; mas sim, uma adaptação intrapessoalmente inteligente que tira proveito daquilo que, à primeira vista, não tinha proveito algum. É do limão à limonada mesmo.

Esta habilidade confere às pessoas uma capacidade de se situar bem diante de todas as áreas da vida. Sabem o que querem; o que não querem; o que as incomoda; o que as motiva; os seus pontos fortes e fracos. Como resultado, a possibilidade de se suceder bem em todas as áreas da vida cresce substancialmente. Sem dúvida, neste contexto, a frase do filósofo grego, “conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo”; faz todo o sentido!

Inteligência Interpessoal 

Enquanto a Inteligência Intrapessoal diz respeito ao autoconhecimento, a Interpessoal refere-se ao conhecimento do outro. É a capacidade que alguns indivíduos possuem de compreender as motivações do outro e, a partir daí, entender as intenções, ambições e atos do outro. Também é aprendida e desenvolvida e tão importante quanto a Intrapessoal pois, é esta inteligência, que permite o bom relacionamento com os outros.

Não resta a menor dúvida que ambas as inteligências, intra e interpessoal, são fundamentais para o estabelecimento de um relacionamento grupal produtivo. Não é possível relacionar-se bem com o outro se o nosso auto relacionamento não é inteligente. Da mesma forma, não possuirmos a mínima capacidade empática, que nos permita compreender, minimamente, as motivações do outro; também não nos permitirá construir relacionamentos produtivos.

Considerando que, segundo o marketing moderno, vivemos a era de relacionamento de marketing de longo prazo, a capacidade de relacionar-se bem consigo próprio e com o outro torna-se a condição sem a qual não será possível prosperar comercialmente. Sendo assim, o estabelecimento de habilidades que permitam a construção de relacionamentos produtivos de longo prazo; têm que ser ponderadas. Em outras palavras, o desenvolvimento das Inteligências Intra e Interpessoal é fundamental para uma trajetória corporativa bem sucedida.

Por esse motivo, o segundo módulo do TPP, se propõe ao desenvolvimento dessas inteligências com base na teoria Quociente de Adversidade do Dr. Paul G. Stolltz, Phd. Dessa forma, o Módulo 02 – Desenvolvimento da Inteligência Intrapessoal e Interpessoal é composto por:

  1. Descoberta do Quociente de Adversidade (QA);

  2. Análise do Perfil de Resistência a Adversidade (PRA);

  3. Entendendo o Controle, a Participação, o Alcance e a Resistência sobre a Adversidade – CPAR.

  4. Apreendendo a sequência ODAF;

  5. Assumindo uma postura Resiliente diante da Adversidade.

Sendo assim, concluímos a apresentação, sucinta, do nosso módulo 2 do programa de Educação Corporativa TPP. Semana que vem finalizaremos esta sequência com o terceiro módulo—Construindo uma Organização para o Aprendizado (OPA!). Vamos juntos!

2018-04-09T18:54:16-03:00 9 de abril, 2018|Educação Corporativa|2 Comentários

2 Comentários

  1. Ana 16/08/2018 at 17:11 - Reply

    Um contexto totalmente terapêutico e eficaz, quando há um trabalho nas bases emocionais, tanto intra quanto inter, as mediações e compreensões são reais, portanto, a ideia de resiliência para produção de equilíbrio faz todo sentido!

    • Ary Moreira 16/08/2018 at 18:10 - Reply

      OPA! Obrigado pelo comentário, Ana. Perfeita análise do conceito de resiliência.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: