Por que nossa liderança não consegue mobilizar nosso pessoal?

Por que nossa liderança não consegue mobilizar nosso pessoal?

Já sabemos o que fazer e como fazer. Só falta entender por que fazer

Por que não vamos além?

Por que nossa liderança não consegue mobilizar nosso pessoal?

Por que temos que matar um leão por dia?

Por que tudo isso é tão chato?

No nosso post anterior—O que falta para decolarmos? O Vazio Organizacionalfalamos do significado do trabalho e do motivo que nos impede de explorarmos o máximo de nossas competências no ambiente corporativo. Dando continuidade à temática, o assunto que trago neste post diz respeito à Mobilização. Por que nossa liderança falha na tarefa de impulsionar nosso pessoal a ir além?

Maior desafio da Liderança: Fazer com que as pessoas façam

Talvez essa seja a maior angústia dos Líderes de equipes—mobilizar as pessoas. A palavra mobilização, por definição, quer dizer, entre outros significados, “pôr-se em movimento; pôr-se em ação ou uso; incitar à participação”. Em resumo, mobilizar é persuadir as pessoas a realizarem tarefas não escolhidas por elas. Não é uma equação fácil de resolver. Dessa forma, alguns aspectos devem ser observados.

Existe uma grande confusão nos modelos de liderança contemporâneos. Baseamos a condução de nossa gerência organizacional sob métodos obsoletos e ineficazes. Por muito tempo acreditamos (alguns ainda acreditam) que liderar era uma questão de estilo. Em outras palavras, lidera-se democraticamente, ou autocraticamente ou através do método laissez-faire. Sem explorar em detalhes os diferentes estilos, podemos dizer que o líder autocrático estabelece as diretrizes a serem seguidas. Já o democrático, as diretrizes são estabelecidas pelo grupo; por fim, o líder laissez-faire permite ao grupo total liberdade no estabelecimento e escolha das diretrizes.

A tarefa de Mobilizar pessoas

Os diferentes estilos de liderança têm em comum a árdua tarefa de mobilizar pessoas. Independentemente de preferências individuais quanto aos estilos, o que se espera de um líder é que ele seja capaz de fazer com que as pessoas executem as tarefas. O que se tem descoberto, entretanto, é que o que mobiliza as pessoas não é o estilo em si, mas sim a forma de abordagem.

Na maioria das vezes, as lideranças focam suas estratégias de mobilização na tarefa (o que fazer) e no método (como fazer) esquecendo-se do fundamental—por que fazer. Dessa forma, o sentido do trabalho se dissipa e a mobilização se transforma numa missão impossível de ser alcançada.

Obviamente, o o que fazer e o como fazer são duas partes importantes da equação; mas, o por que fazer é o elemento essencial. As pessoas se comprometem com o trabalho quando percebem um sentido no que fazem; ou seja, sabem a finalidade da tarefa executada. Em resumo, nos mobilizamos para a realização das tarefas quando percebemos o seu claro sentido. Acredito que esse seja o fator crucial no gerenciamento de equipes.

Você tem outras ideias a respeito do tema? Você acredita que existem outros fatores que emperram as lideranças na tarefa de mobilização de suas equipes? Faça seu comentário, compartilhe suas ideias e opiniões. De repente abrimos um fórum de discussão sobre o assunto. Conto com sua participação!

No nosso próximo encontro, daqui a duas semanas, continuaremos nossa discussão a respeito desta temática, O vazio organizacional, respondendo à pergunta: Por que temos que matar um leão por dia? Até lá!

2019-05-09T12:30:34-03:00 8 de abril, 2019|Educação Corporativa|0 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: