Forbes cita 10 Tendências para o Ambiente de Trabalho em 2018. Qual fará a diferença?

Uma excelente ideia guardada não vale o tempo despendido para pensa-la. Mesmo que esta ideia seja a cura para todos os males da humanidade.

OPA! Fiquei muito feliz ao ler um artigo da revista Forbes sobre as tendências para o ambiente de trabalho em 2018. Segundo o autor, Dan Schawbel, 10 tendências estarão presentes no ambiente corporativo em 2018. Fiquei feliz por verificar que as 10 tendências elencadas estão em consonância com as premissas que julgamos essenciais para a geração de vantagens competitivas duradouras, as quais temos compartilhado em nossas publicações.

Uma dessas tendências é a criação de facilidades para uma interação mais humana. Essa interação interpessoal provoca o compartilhamento de visões que temos apontado, em nossas publicações, como o motor propulsor de vantagens competitivas duradouras. Dessa forma, dediquei-me neste post a falar somente sobre ela. Não que as outras não sejam igualmente importantes, mas acredito que criar facilidades para uma interação mais humana que propicia o compartilhamento de visões; é essencial. Essas tendências, como diz Schawbel,

“são baseadas em centenas de conversas com executivos e trabalhadores, uma série de pesquisas nacionais e globais em linha e pesquisa secundária de mais de 450 fontes de pesquisa diferentes, incluindo colégios, empresas de consultoria, organizações sem fins lucrativos, governo e associações comerciais”.

Facilidades para uma interação mais humana.

Segundo o autor, haverá, em 2018, um esforço maior no sentindo de promover as relações interpessoais entre os colaboradores. Já temos observado, embora numa escala muito pequena ainda, organizações investirem em instalações e curtos “breaks” no horário de expediente que propicie o encontro dos colaboradores para uma pequena relaxada e bate-papo. Um lanchinho numa cozinha bem montada, ou uma pequena sala de descanso, ou um pequeno salão de jogos, onde as pessoas saem um pouco das tarefas para relaxarem e interagirem. Esse estreitamento nas relações interpessoais promove o compartilhamento de visões que trazem à tona conhecimentos tácitos e valores invisíveis que são os motores propulsores da geração de vantagens competitivas duradouras.

Para se ter uma ideia de quanto é importante esse compartilhamento de visões, o autor cita algumas empresas que se preocupam muito com esse aspecto como segue:

IBM: “parou seu programa de trabalho remoto, empurrando milhares de funcionários de grupos principais que suportam suas marcas de volta ao escritório”.

Apple: “a nova e inovadora instalação da Apple é projetada para promover relacionamentos de trabalhadores, compartilhamento de ideias e colaboração”.

Google: “os Google Cafés são projetados para encorajar interações entre funcionários em departamentos e equipes”.

Tudo isso com um único e exclusivo intuito de estreitar os relacionamentos interpessoais dentro das organizações. A famosa “troca de figurinhas” entre os colaboradores que geram conhecimentos tácitos e valores invisíveis; motores propulsores de vantagens competitivas duradouras.

Mas, neste ponto da leitura, você deve estar pensando: “pô, Ary, IBM, Apple, Google… você tá de brincadeira!”. Não, não estou brincando. Como costumo dizer, um time de futebol é um time de futebol. Independentemente de ser o Barcelona ou o Grêmio Recreativo Desportivo dos Amigos do “Butiquim” do Seu Manel da Esquina. Ambos entram em campo com 11 jogadores, sob as mesmas regras do jogo; têm um treinador; um goleiro; um centroavante…guardadas as devidas proporções funcionam dentro do mesmo universo e obedecem as mesmas premissas. Ou seja, não é privilégio dos “grandes” certas práticas corporativas. Outra coisa—você é do tamanho que você acha que é. Se você acha que é pequeno ou se você acha que é grande; das duas formas você está absolutamente certo!

Recomendo fortemente a leitura do artigo. Dediquei-me neste poste, como já dito, a análise de apenas uma das tendências relatadas, facilidades para uma interação mais humana, por ser esta um meio propiciador do compartilhamento de visões que temos classificado, nas nossas publicações, como o fator primordial na geração de vantagens competitivas duradouras. O texto está em inglês. Se você ainda não domina o idioma, o Google tradutor pode te ajudar sem prejuízo de perda de conteúdo. Ressalto que as outras 9 tendências são igualmente importantes. Divirta-se com a leitura e até a próxima.

2018-01-15T15:38:20-03:00 15 de janeiro, 2018|Empreendedorismo|4 Comentários

4 Comentários

  1. Rodrigo 20/01/2018 at 16:16 - Reply

    Olhei gostei muito do texto!

    • Ary Moreira 21/01/2018 at 13:31 - Reply

      OPA! Fico feliz que você tenha gostado do texto, Rodrigo. Seu comentário é sempre bem-vindo. Obrigado e sucesso!

  2. Ricelio 07/02/2018 at 15:29 - Reply

    Parabéns pelo texto, pena que muitas empresas ainda estão paradas no tempo deixando funcionários totalmente desmotivados com sua maneira de trabalho.

    • Ary Moreira 07/02/2018 at 15:52 - Reply

      OPA! É verdade, Ricelio, precisamos mudar essa realidade. Já observo algum movimento nesta direção. As organizações que não acompanharem esta tendência não sobreviverão por muito tempo, infelizmente. Obrigado pelo comentário. Sua opinião é sempre bem-vinda. Sucesso!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: