Como ser o Melhor entre os Melhores? Os segredos do The Big Bang Theory; sem BAZINGA!

Como ser o Melhor entre os Melhores? Os segredos do The Big Bang Theory; sem BAZINGA!

“Good, better, best. Never let it rest. ‘Til your good is better and your better is best”. (St. Jerome). “Bom, ótimo, excelente. Nunca descanse. Até o seu bom se tornar ótimo e o seu ótimo se tornar excelente”. (St. Jerome)

Para o desespero de fãs apaixonados (me incluo na lista) foi ao ar no dia 16 de maio de 2019 o último episódio do sitcom mais longo da história da TV dos Estados Unidos–The Big Bang Theory. Foram 12 anos de sucesso absoluto. Os números atestam a incontestável vitória:

  • 12 temporadas
  • 279 episódios
  • Considerada pela crítica a série de TV mais famosa do mundo de todos os tempos
  • Média de público por episódio de 18,99 milhões de expectadores
  • 1 bilhão de dólares em faturamento com os anunciantes
  • Em 2011, com a venda dos direitos de transmissão para a Fox, a Warner Bros com a Chuck Lorre Productions passaram a lucrar 1,5 milhões por episódio
  • 23% dos pontos de audiência bruta do TBS são gerados por reprises do The Big Bang Theory, que podem acontecer até seis vezes por dia.
  • Um espaço de 30s de propaganda durante os episódios custava 350,000 dólares. No último episódio, esse valor subiu para 1,5 milhões
  • O custo de produção por semana era de 10 milhões de dólares

Os números são extremamente impressionantes e eu poderia continuar a lista por vários outros quesitos, mas acho que já está de bom tamanho. A questão é: Como e por que isso tudo se tornou possível?

Não quero cair aqui em um lugar comum prescrevendo mais uma receitinha de passos para se alcançar sucesso na vida pessoal e profissional. O sucesso vai além de teorias simplistas a respeito de como conquistá-lo, principalmente sucessos como o The Big Bang Theory. Entretanto, analisando alguns aspectos, podemos tirar lições que podem nos ajudar a conquistar o nosso sucesso em vez de passarmos a vida inteira contemplando o dos outros.

Dessa forma, elenquei alguns requisitos, com base na história do The Big Bang e na minha experiência de vida, que não determinam a vitória mas, sem dúvida, ajudam a conquistá-la. Se você tiver alguma sugestão para acrescentar à lista; por favor, sinta-se à vontade. Sua opinião é importante e sempre bem-vinda. Vamos a eles:

O que preciso para vencer?

1

O livro de Hebreus, capítulo 11, versículo 1 diz que “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem.” A conquista do sucesso começa na certeza absoluta que temos da sua conquista. É como ver o invisível. Se temos algum tipo de dúvida em relação ao que podemos conquistar, sacramentamos a derrota. É preciso crer para ver; não o contrário.

2 – Persistência

Na grande maioria das vezes, a caminhada em direção à vitória é longa e cheia de percalços. Não é sempre assim, mas conheço poucos exemplos onde tudo aconteceu meio que por acaso, facilzinho. Na grande maioria das vezes, o acordar cedo e dormir tarde é a regra; não a exceção.

Uma das frases icônicas da personagem Dory do filme “Finding Nemo” (à procura de Nemo) para encorajar o pai de Nemo diante das dificuldades ao longo do percurso para encontrá-lo era: “just keep swimming” (apenas continue nadando). Em outras palavras—não desista! Persevere na busca do sucesso como se você estivesse à procura de um filho perdido.

3 – Solidariedade

Seja solidário(a) com as pessoas que ainda não chegaram ao seu patamar. O significado da palavra solidariedade quer dizer: “responsabilidade recíproca entre elementos de um grupo social, profissional, institucional ou de uma comunidade”. Pressupõe um sentimento de identificação em relação ao sofrimento do outro.

A essência da palavra, no meu entendimento, sugere o compartilhamento, a generosidade, a agregação dos diferentes e o reconhecimento da importância de todos. Os atores do The Big Bang Theory nos dão uma lição importante neste aspecto.

Jim Parsons (Sheldon), Kaley Cuoco (Penny), Johny Galecki (Leonard), Simon Helberg (Howard) e Kunal Nayyar (Raj) entraram em um acordo onde abririam mão de 10% dos seus salários para que as atrizes Melissa Rauch (Bernadette) e Mayim Bialik (Amy) tivessem um reajuste salarial.

Tudo bem, todos ganhavam uma fortuna por episódio (1 milhão de dólares) enquanto que Melissa Rauch e Mayim Bialik “apenas” 200 mil. Em outras palavras, mesmo abrindo mão dos 10% continuaram sendo os mais bem pagos. Mas não é pela cifra; é pelo ato. Não precisavam ter feito aquilo, sendo eles os atores principais. Entretanto, foram solidários e compartilharam um pouco do muito (que é muito) reconhecendo, generosamente, a importância de todos no projeto.

4 – Saiba a hora de parar

Os atores principais do The Big Bang estavam negociando um novo contrato para mais duas temporadas da série num valor de 50 milhões de dólares, o que seria aceito pela produtora sem maiores negociações; entretanto, Jim Parsons, o ator principal que interpretava o personagem Sheldon, decidiu parar.

Dessa forma, a Warner, assim como os outros atores do elenco, acharam que haveria uma completa descaracterização da séria, que a levaria ao iminente fracasso, se o personagem fosse interpretado por outro ator. Como substituir um personagem como o Sheldon?! Ninguém quis pagar para ver.

Embora pareça loucura abrir mão de um contrato de 50 milhões de dólares por duas temporadas apenas, os críticos dizem que não houve grandes lamentações por parte do elenco. Compreenderam e concordaram com as colocações de Parsons:

“…é tão complexo e simples quanto sentir naturalmente que estava na hora. Não há razão negativa para parar de fazer Big Bang. É como se tivéssemos sido capazes de fazer isso por tantos anos que não parece que restou algo na mesa. Não que nós não pudéssemos continuar fazendo, mas é como se já tivéssemos mastigado toda a carne do osso….Vai ser muito, muito triste quando acabar, mesmo sabendo que estou bem com isso. É difícil dizer adeus às pessoas com as quais você trabalhou por tanto tempo.” (Jim Parsons)

Tudo começa, se desenvolve e acaba, no transcorrer de nossas existências. De uma forma ou de outra, seguindo cronologias diferentes; este é o caminho a ser percorrido. “O para sempre; sempre acaba”, como dizia Renato Russo. As pessoas que conseguem identificar o “timing” das estações da vida, com maturidade e equilíbrio, têm maiores chances de viver a plenitude dos seus momentos existenciais sem lamentações.

5 – Gratidão

Agradeça por tudo e a todos e sobre tudo e todos; a Deus (mesmo que você seja ateu!). Não pense que você é o único merecedor dos louros da vitória porque não se ganha nada sozinho. Olhe ao seu redor e veja quantas instituições lhe propiciaram chances de sucesso; quantos professores se dedicaram a lhe ensinar; seus colegas de trabalho; seus amigos; sua família… Você não fez sozinho!!! Agradeça!!!

“Nós estaremos eternamente agradecidos por todo o apoio à série durante esses 12 anos. Nós, juntos com o elenco e equipe, estamos extremamente felizes com o sucesso do show e estamos preparados para dar um final épico à série”. (Chuck Lorre, em conjunto com a CBS e a Warner)

No seu Instagram, o ator Jim Parsons colocou a seguinte legenda na foto da porta do apartamento 4A:

“Toc-toc, Toc-toc, toc-toc, obrigado… Obrigado, apartamento 4A, por ter sido um lar, e por tantas amizades feitas. E obrigado a você, TODOS vocês – sim, VOCÊ, lendo isso AGORA! Enquanto nos preparamos para gravar nosso episódio final hoje à noite, para entrar e sair dessa porta de apartamento pela última vez. É difícil encontrar as palavras para articular a experiência tocante que isso foi. As palavras ‘amor’ e ‘gratidão’ me parecem certas, então amor e gratidão para todos vocês – TODOS vocês. Obrigado”, disse o ator para os fãs e em seguida para seus colegas de elenco: “Que os próximos 12 anos de vocês sejam vibrantes e maravilhosos como os 12 últimos anos em que tive o prazer de conhecê-los e trabalhar com vocês.”

Ainda não sei ao certo o que realmente determina o sucesso. Continuo nadando em busca de respostas. Mas acho que esses detalhes descritos neste post ajudam bastante ao longo da caminhada. Se vamos ter sucesso ou não… não sei dizer.

Bazinga!

2019-06-17T09:55:07-03:00 17 de junho, 2019|Empreendedorismo|0 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: