O que é uma Organização Resiliente?

O que é uma Organização Resiliente?

“Ali onde eu chorei, qualquer um chorava. Dar a volta por cima que eu dei, quero ver quem dava” (Paulo Vanzolini)

Concluindo nossa sequência de quatro posts sobre resiliência, hoje descreveremos o perfil das organizações resilientes. Para situar você na sequência completa, segue os links dos posts anteriores.

  1. Você sabe o que é Resiliência?
  2. Você é uma pessoa Resiliente?
  3. Ser resiliente ou desistir? O que vamos fazer agora?

As pressões que nós, enquanto pessoas físicas, somos submetidos no nosso dia-a-dia de um mundo em constante mudança não é diferente das pressões que as organizações sofrem diante das turbulências mercadológicas de um ambiente corporativo cada vez mais competitivo.

Operar um negócio diante de tamanha instabilidade e incertezas requer das organizações muito mais do que competências técnicas. É imperativo a capacidade de Resiliência Organizacional. Continuar tocando o barco com eficácia frente à ansiedade e desânimo e tristeza e medo e estresse, oriundos de um mercado hipercompetitivo; só sendo muito resiliente e hábil na árdua tarefa de fazer do limão a limonada. Só os fortes resistem. E quando falo fortes não me refiro aos que têm mais, mas sim, aos que são MAIS. Ter mais recursos, nessa hora, não é garantia de sobrevivência. Ser o mais resiliente é.

Qual é o caminho das pedras?

Para encarar este cenário, as organizações precisam manter a calma e continuar gerindo o negócio sem precipitações e sistemicamente. Muita OPA! nessa hora. Somente um ambiente Organizacional voltado Para o Aprendizado (OPA!) é capaz de proporcionar essa condição. As organizações são o reflexo das pessoas que as compõem; ou seja, pessoas resilientes criam ambientes resilientes. E a resiliência individual só pode ser desenvolvida em ambientes organizacionais onde o ser humano é colocado em primeiro lugar.

Como é o modelo de uma Organização Resiliente?

As organizações que se caracterizam pela sua capacidade de responder rapidamente às constantes mudanças relacionadas às novas tecnologias, aos avanços científicos, às mudanças climáticas, geopolíticas; socioeconômicas; mercadológicas; correspondem ao modelo de organização resiliente. Ou seja, uma Organização Para o Aprendizado (OPA!).

Transformar as organizações comuns em Organizações Para o Aprendizado (OPA!) capazes de enfrentar situações adversas resilientemente, não é um luxo ou mais um modismo irrelevante do mundo corporativo. É uma real necessidade. A capacidade de criar, identificar, desenvolver e aplicar o conhecimento adquirido na geração de vantagens competitivas sustentáveis adaptando-se rapidamente às várias e drásticas mudanças do ambiente corporativo sem perder sua própria identidade; ao contrário, reforçando-a através dos tempos; é imperativo. Mudar é preciso; a não ser que você se divirta matando um leão por dia até ser comido por um deles!

Como será o amanhã?

É simplesmente impossível prevermos com exatidão o dia de amanhã e nos protegermos completamente das incertezas cotidianas, sejamos pessoas, organizações ou nações. Não vamos perder tempo tentando, infrutiferamente, controlar o incontrolável—a vida. Precisamos sim, analisar os fatos tal qual eles se apresentam no que diz respeito à sua dimensão, (é realmente tão grande quanto parece?); ao seu alcance (quais são as áreas que serão realmente atingidas?), e à sua duração (claro que não vai ser para sempre! A não ser que tenhamos morrido). Dessa forma desenvolveremos a nossa capacidade de sermos resilientes e continuaremos a caminhada sem olhar para trás tornando-nos especialistas na prática de domar leões e de fazer do limão a limonada. Sucesso!

2020-11-02T14:48:39-03:00 2 de novembro, 2020|Resiliência Organizacional|0 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: